quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O carnaval e o acaso dentro de mim.


Estava conversando hoje sobre "filhos planejados" com a Bia. Comçamos a falar sobre o conceito, e sobre o que as pessoas dizem dele.

Já reparou que as pessoas falam esse tipo de coisa, "meu irmão não foi planejado", "eu fui planejado pelos meus pais", etc.?

Se fosse só o falar, sem nenhum julgamento, não teria problema. O foda é que percebi que o "planejado" tem conotação positiva, e o "acidental" é negativo. São os filhos de "camisinha furada", de "pílula de farinha", do carnaval e até da Copa.

Daí, só hoje me dei conta de uma coisa: eu sou um não-planejado e adoro isso. Não só porque eu sou um, fui descobrir mais tarde isso. Mas eu sempre achei que filho de verdade é o que vem não por plano, mas porque sim. É ter seu momento único, independente de como ía a vida dos pais.

Imagina isso: você é um plano dos seus pais. Primeiro eles planejaram a casa, depois escolheram um carro, depois encomendaram você. How dumby. Meu, como você vai ter qualquer perspectiva se nem começou fazendo sua sorte, é só um plano? Você achou que tinha uma vida quando nasceu, mas está só seguindo um papel. Sim, eles poderiam escolher que você não valia a pena, podiam escolher mudar de carro, mas mediram prós e contras e te fizeram. Nossa, isso sim seria um trauma para mim.

Bom, como bom escorpiano, sou filho do carnaval. Não tem escorpiano que não tenha essa vibe de ser algo fora dos planos. Elemento imprevisível, não regrinha cagada. Escorpiano nasce do momento do ano que mais lembra o sexo, a festa, o coração acelerado. Eu fico fazendo esse cálculo às vezes, vendo se o signo tem a ver com o momento do ano que aconece 9 meses antes.

Meu irmão, por exemplo. Meu glorioso irmão. Ele é filho da Copa de 70. Que do caralho isso! O Brasil vive o momento mais glorioso de sua história até então, se consagra não ao vivo mas a cores a maior nação do futebol e, desse momento, dessa catarse, dessa festa, o resumo é uma pessoa. Não tinha como não ser do bem, não tinha como não ser um cara excepcional, que se destaca na multidão.

Tem mais. Vale lembrar que eu acredito em alma. A gente pode encomendar um monte de coisas, mas nunca achei que encomendar uma alma pra chegar num corpo fosse algo minimamente condizente com todo o lance espiritual. Um corpo é o resultado da soma de genes de duas pessoas, mas a alma é única, não uma mistura de dois. É algo maior, que vem de Deus (ou qualquer nome que você queira dar, se é que acredita nisso; eu não sou nem um pouco grilado com ateus e afins, me grilo mais com quem acha que sua visão é a única válida), e que eu saiba o cara até atende pedidos, mas não com hora marcada.

Um filho planejado não tem essa mistura de caos em sua essência, essa entropia. Não tem a imprevisibilidade que é a matéria-prima de pessoas como Einsten, Pelé ou Ali. É uma receita de bolo que está crescendo bem, obrigado, tudo dentro dos planos. Estará pronto às cinco, se você quiser um pedaço.

O resumo é: você não precisa ser um filho do acaso para ser especial. Mas nunca se sinta superior por ser planejado. E nunca, e agora eu digo nunca mesmo, considere alguém inferior por ser acidental.


O acaso é o que muda o mundo. A norma é o que o torna o mesmo de sempre.

15 comentários:

S. disse...

Tenha um filho ao acaso agora, nessa altura da vida, pra voce ver que rebolado gostoso voce vai fazer hahaha

Mas falando serio, nao acho q filhos planejados sejam planejados tambem. Exemplo da minha mae, que por algum karma eu acho que nao era pra ter filhos. Os dois primeiros que ela planejou morreram antes do parto. Eu, que vinguei, quase morri enforcado na barriga dela (ou voce ja ouviu falar de cesariana as 5 da manha???), meu irmao nasceu com problema cardiaco e morreu jovem. Ou seja, nem os "planejados" sao planejados. Se vai ser homem ou mulher, se vai ser um bom filho ou nao, doencas, enfim... um filho planejado nao e planejado. Por isso, como voce, nao vejo diferencas entre planejado e ao acaso. Mas ao contrario de voce, eu acho que se preparar pra ter um filho, para os PAIS, e mais facil. Menos dor de cabeca.

Alias, essa e a primeira vez que ouco que alguem se sente melhor por ser planejado. Ela acha o que? Que foi feita de modo diferente ou algo assim???

Moonlight disse...

Mais insosso ainda é quando o plano vai além. Noivado > Casa > Casamento > Carro > Filho > Faculdade de Direito > Nora sob aprovação > Neto + Aposentadoria tranquila.

•••

Sou um acaso que encontrou outro acaso de uma maneira, talvez, planejada. Quer dizer, acho eu.

Adotado por quem acabara de ter um filho natimorto.

A história em detalhes nunca soube, tampouco quis saber.

Jab Vortex disse...

Nunca pensei nesse sentido pejorativo do "filho acidental". Talvez pelo orgulho que tenho de ser um deles e do orgulho que meus pais sempre tiveram de mim. A unica coisa que eles planejaram foi um casamento corrido na Apostólica Brasileira (a Romana não aceita casamento de mulheres grávidas de seis meses). E meu dia de nascimento quase dois meses antes do "planejado" pela natureza, que beleza. Um domingo de cinema. Conjunto Nacional, seção das 21h, A Dama da Lotação. De lá direto pra maternidade...

É champ, nunca pensei em "filho acidental" de forma pejorativa. Quantos planejados tem histórias tão boas pra contar?

Roberto Wolvie disse...

Saulão, me expressei mal: a Bia não acha não acha melhor ser planejado ou não. É que a gente estava falando das pessoas que acham isso.

Ber disse...

Minha irmã é uma escorpiana planejada. Eu sou um acidente das diretas já. Ratinhos pela democracia !

Ber disse...

Minha irmã é uma escorpiana planejada. Eu sou um acidente das diretas já: Ratinhos pela democracia !

Ber disse...

Minha irmã é uma escorpiana planejada. Eu sou um acidente das diretas já: Ratinhos pela democracia !

Ber disse...

Minha irmã é uma escorpiana planejada. Eu sou um acidente das diretas já: Ratinhos pela democracia !

Anônimo disse...

Minha irmã é uma escorpiana planejada. Eu sou um acidente das diretas já: Ratinhos pela democracia !

Ber

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Bruno disse...

Queria dizer que fui filho da copa ou da depressão de 29 ou algo assim, mas a verdade é que eu fui planejado porque minha família segue as normas. Não funcionou, frustrei cada expectativa deles e agora o acaso e a quebra da norma são minha missão nesse mundão.
O negócio é que depois de uns anos os pais vão percebendo que era melhor ter se planejado pra não ter filhos mesmo... http://ricardolombardi.ig.com.br/terror-infantil

não perco as esperanças pq o pessoal vai perdendo a hipocrisia, beeeeeem aos poucos...

abraço, master.

agente laranja disse...

Acidental e fruto de história brega de amohr.

É muito mais divertido assim...

Fabio Ciccone disse...

Eu sou de Áries (que, de acordo com o que conheço do ilustríssimo autor deste blog, é mais importante do que dizer "eu sou de 12 de abril"); meus pais casaram-se em 31 de outubro. Do the math, ou eu nasci de 6 meses ou alguma coisa deu errado.

Fui feito completamente sem querer e ainda assim sou infinitamente superior aos meus irmãos, então não tenho trauma :D

Davi Fox disse...

the good: ótimo texto para depressões novembrinas!

the bad: tenta vender ele anualmente pralgum tablóide!

the ugly: isso aqui iô iô, é um pouquinho de brasil, iá iá!

Virgínia disse...

Além do planejado e do acidental, podemos incluir a sub-categoria do não-desejado. Eu fui acidental e não desejada por uma das partes produtoras :P Daí você sai do oposto de ser só um plano dos seus pais para se sentir um "estorvo" por ter vindo em "hora errada". Felizmente você viu a situação sob outro aspecto, mas eu passei uma fase de drama, de sentimento de rejeição. Até que um dia você cresce, supera e entende a posição dos seus pais. Mas é engraçado como pensamos no filhos sempre sob o nosso ponto de vista, "teremos no melhor momento pra NÓS", "quero um filho pra ME fazer companhia" etc...tô lendo um livro sobre isso "Porque te amo, não nascerás".